Felicidade

Acredito que o destino de quem busca felicidade em superficialidades e bens materiais é nunca encontrá-la. Talvez ache alguma satisfação passageira, mas nunca sentirá realização, qualquer que seja o nível, da menor à plena.
E acredito também que é por essa busca leviana e tola que se vê tanta gente perseguindo riqueza e outros prazeres descontroladamente, sem limites. E não precisa olhar para um deputado corrupto e sua fome de dinheiro e poder para encontrar isso. Olhe em volta e verá muita gente perdida nessa merda. Gente que você ama. Provavelmente, encontrará essa bobagem até naquela pessoa que olha para você do espelho.
Procure em livros e no Google e em páginas de Facebook, e verá racionalizações, justificativas, teorias e conceitos bem escritos e aparentemente bem fundamentados. Mas é tudo ilusão. É tudo desculpa.
Não acredito que a felicidade seja um sentimento constante, uma chama crepitante que não se apaga. Essa é a felicidade que se busca. E ela não existe.
Para mim, felicidade é uma sensação leve, discreta, que você percebe sentir só quando pensa nela, quando se pergunta “sou feliz?” e a resposta vem suave, como um sussurro. E acredito também que a felicidade está em coisas que não se consegue ver ou mensurar. Está no amor, principalmente. No que você oferece e no que recebe. Está no respeito. No que oferece e no que recebe. Está na simplicidade das coisas e quanto elas são úteis e confortáveis, não necessariamente belas ou novas. Está na complexidade das ideias e desvarios artísticos, não nas marcas.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s