Tampando sol com peneira

Eu fico muito impressionado com as pessoas que dizem “não acredito em nada do que falam do Bolsonaro”… Gente! Acorda! Para cada ideia imbecil que atribuem a ele, tem um vídeo ou mais DELE MESMO FALANDO os absurdos!
Cacete… isso é burrice, preguiça mental ou vocês perderam a noção de caráter?

Anúncios

E agora?

O assassinato da vereadora carioca colocou a sociedade brasileira num momento decisivo. Uma mulher, negra, política, mãe, que era atuante na defesa dos direitos humanos e contra os desmandos de agentes “de segurança”, denunciava abusos, era de um partido de esquerda (talvez um dos poucos verdadeiramente de esquerda no Brasil de hoje). Essa mulher foi covardemente assassinada. Não tenho dúvidas sobre a motivação. Você tem? O que precisamos ver é se haverá um desfecho para esse caso. Os responsáveis serão encontrados? Seus motivos, expostos? Se não, acabam-se as dúvidas de quem (des)manda neste país. Só não perceberá quem não quiser…

Sobre o longo caminho da recuperação

Quando se precisa renunciar ao amor por alguém que te decepciona ou dispensa, o caminho para se recuperar é tão longo, o custo tão alto e, não raro, demora tanto, que entendo quem diz não querer amar novamente. A tentação em se acomodar à paz que se segue é grande. Mas ainda não acredito que seja uma boa ideia se render a ela. Há um mundo lá fora e talvez haja alguém lá que mereça te amar e receber seu amor.

Sobre espectadores

Você vê uma pessoa fazendo canalhice e, por amizade (ou seja lá qual outra desculpa), não se manifesta. Não está apenas se omitindo. Está servindo de plateia. E servir de plateia para canalha é uma sacanagem. Talvez não tão grande quanto a canalhice que se vê, mas é suficiente para que você não possa se fazer de inocente.

Considerações sobre virada de ano (2017-2018)

Sobre rojões e bombas: Sei que já passou. Mas eu queria só deixar uma coisa clara sobre comentários contra os fogos que fazem barulho. Quem reclama não está se compadecendo só pelos cães e gatos (como se isso não fosse suficiente, mas vamos lá). Essas merdas também incomodam bebês, idosos, pessoas com necessidades especiais, e muitos e muitos tipos de animais, domésticos ou não. Ok? Então, se você pensa em refutar as críticas com um “que mundo chato, agora a gente não pode nem soltar rojão por causa de cachorrinho de madame”… antes que eu me esqueça, vá tomar no meio do olho do seu cu.

•••

Você que dá tiro para o alto, para comemorar, avisar, seja por qual motivo… você é um idiota!
Lembro que um vizinho meu tinha a mania de, na virada do ano, ir para a porta de casa e dar tiros para o ar. Eu era criança e pensava “para onde vão as balas?”
Eu era genial? É claro que não! O cara é que era burro pacaray. Afinal, se até uma criança se pergunta isso, como um adulto não?
Hoje de manhã (02 de janeiro), vi a notícia de que uma criança morreu na virada do ano graças a uma bala perdida, provavelmente disparada para o alto (a falta de atendimento tem parte da culpa, mas essa é outra história).
Veja bem:
Quem estoura rojão, bomba e essas merdas que só fazem barulho já demonstram uma certa inconsciência e falta de empatia, mas quem dá tiro pro alto… é de uma burrice impressionante. BURRICE! Pura e simples. Do cano de uma arma sai um projétil. Essa porra vai para algum lugar, seu imbecil. Não se desfaz no ar. E não cai suavemente, viu?

Felicidade

Acredito que o destino de quem busca felicidade em superficialidades e bens materiais é nunca encontrá-la. Talvez ache alguma satisfação passageira, mas nunca sentirá realização, qualquer que seja o nível, da menor à plena.
E acredito também que é por essa busca leviana e tola que se vê tanta gente perseguindo riqueza e outros prazeres descontroladamente, sem limites. E não precisa olhar para um deputado corrupto e sua fome de dinheiro e poder para encontrar isso. Olhe em volta e verá muita gente perdida nessa merda. Gente que você ama. Provavelmente, encontrará essa bobagem até naquela pessoa que olha para você do espelho.
Procure em livros e no Google e em páginas de Facebook, e verá racionalizações, justificativas, teorias e conceitos bem escritos e aparentemente bem fundamentados. Mas é tudo ilusão. É tudo desculpa.
Não acredito que a felicidade seja um sentimento constante, uma chama crepitante que não se apaga. Essa é a felicidade que se busca. E ela não existe.
Para mim, felicidade é uma sensação leve, discreta, que você percebe sentir só quando pensa nela, quando se pergunta “sou feliz?” e a resposta vem suave, como um sussurro. E acredito também que a felicidade está em coisas que não se consegue ver ou mensurar. Está no amor, principalmente. No que você oferece e no que recebe. Está no respeito. No que oferece e no que recebe. Está na simplicidade das coisas e quanto elas são úteis e confortáveis, não necessariamente belas ou novas. Está na complexidade das ideias e desvarios artísticos, não nas marcas.